Imprimir

RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DO PESSOAL DE ENFERMAGEM



É um processo de busca que visa atrair candidatos qualificados para ocupar um cargo dentro da instituição. O recrutamento é definido como o processo pelo qual o candidato mais bem qualificado para um cargo vago especifico é identificado em consonância com toda a regulamentação federal, estadual e municipal relativa ao emprego.

 

No processo de contratação de funcionários se ter um planejamento é uma importante habilidade de liderança para alcançar as metas da organização, já que as responsabilidades de algumas decisões em meio à contratação estão diretamente ligadas a outras decisões tomadas nas fases de planejamento.  Tendo em vista a necessidade de considerar o tipo de gerenciamento utilizado no atendimento ao paciente, nível de formação dos funcionários que serão recrutados, variedade da clientela atendida e limitações orçamentárias.

 

  O recrutamento funciona como um elo de ligação entre o ambiente externo e a organização, constituindo o primeiro ponto de contato entre o profissional e a instituição. Quando se inicia o processo de recrutamento é necessário estabelecer padrões de características aos candidatos para que determinados objetivos sejam cumpridos.

 

Os indivíduos e as organizações estão engajadas em um contínuo e interativo processo de atrair uns aos outros. Os administradores da área de saúde sabem da importância de recursos físicos, no entanto, os recursos humanos vêm ganhando novo conhecimento e maior espaço.

 

O problema básico do recrutamento e seleção de pessoal é diagnosticar e localizar as fontes supridoras de recursos humanos no mercado, que lhe interessem especificamente, para nelas concentrarem seus esforços de recrutamento. Os processos de seleção são tanto mais eficientes quanto mais retratam a situação profissional real. Portanto, a elaboração dos critérios de desempenho deve acontecer de maneira integrada com as áreas para onde os indivíduos estão sendo selecionados.

 

O processo de recrutamento e seleção é de suma importância, pois, deixa de ser somente baseado na experiência e na capacidade técnica dos candidatos. As organizações estão valorizando o ser humano, ou seja, avaliando também seu potencial emocional e intelectual. Para que o recrutamento se torne eficaz deve atrair um número de candidatos suficientes para abastecer posteriormente o processo de seleção.

 

Na enfermagem, a participação do enfermeiro no recrutamento e seleção de pessoal tem tido muitas mudanças. Há algum tempo o enfermeiro era solicitado apenas para referir o número de profissionais necessários para suprir a demanda dos serviços de enfermagem, já nos dias atuais, seu papel no recrutamento e seleção do pessoal de enfermagem é bem mais efetivo, participando de todo o processo.

 

As fontes de recrutamento são classificadas em internas e externas. São os métodos através dos quais a organização aborda e divulga a existência de uma oportunidade de trabalho junto às fontes de recursos humanos mais adequados.  As fontes internas referem-se á força de trabalho presente na instituição e as fontes externas de recrutamento referem-se às agências de emprego, escolas, entidades de classe, concorrentes, jornais, anúncios, pessoas encaminhadas por funcionários atuais e candidatos que se apresentam espontaneamente.

 

O processo de seleção envolve análise das qualificações dos candidatos, da história de trabalhos anteriores e a existência de combinação do candidato em relação ao cargo. A diversidade de funcionários deve ser considerada no processo de seleção, pois, se tornará útil para a satisfação das necessidades de uma clientela cada vez mais diversificada em termos de gênero, idade, cultura, etnicidade e linguagem.

 

Existem métodos para realizar o processo de seleção. A escolha do método apropriado ou a junção de vários irá depender da necessidade da instituição em preencher um tipo de cargo e atividades a serem desempenhadas.

 

Os objetivos principais da entrevista seria levantar dados a respeito do candidato para verificar sua adaptabilidade à função e transmitir ao candidato as informações referentes a função e a instituição. Mais dois objetivos, que o candidato consegue informações adequadas para fazer uma decisão inteligente a respeito de aceitar o trabalho, e que o entrevistador busca conduzir a entrevista de modo a manter o respeito e a boa vontade em relação à organização.

 

A entrevista deve ser preparada de maneira que as perguntas do formulário não venham a infringir as leis trabalhistas. Além das leis federais, alguns estados possuem leis específicas, relativas às informações que podem ser colhidas durante a entrevista. Os administradores que mantêm registros das entrevistas e recebem os candidatos com uma atitude aberta pouco temem em relação a acusações de discriminação. Ainda não podem ser feitas perguntas sobre idade, estado civil, filhos, raça, preferência sexual, situação financeira ou de crédito, país de origem ou religião. Considerando que grande parte dos assuntos que envolvem uma entrevista existem questões aceitáveis e inaceitáveis.

 

Na administração de recursos humanos o recrutamento e seleção são considerados o marco que orientará as ações futuras em termos de desenvolvimento de pessoal. E pelo processo seletivo que se consegue uma maior garantia de que os indivíduos que estão entrando para instituição possuem competência técnica e valores apropriados á obtenção dos objetivos da instituição, porém ainda não são de total garantia.

 

 Na área da saúde, e particularmente na enfermagem, o processo seletivo necessita ser entendido como o ponto primeiro, quando pensamos em desenvolvimento de pessoal dentro de uma proposta que aceita esse aspecto como importante para a garantia de uma assistência de boa qualidade. Esta perspectiva se torna um desafio para a organização responsável que vem se aperfeiçoando a cada dia no recrutamento e seleção de pessoal, pois, necessitam direcionar as vagas existentes a aqueles que possuem os mesmos objetivos de crescimento e fortalecimento da instituição.

 

Ao final, teremos profissionais qualificados, que desempenharão com eficiência, motivação e eficácia as tarefas determinadas pela organização. Com isso, os custos serão menores, aumentaremos a produção, e conseqüentemente as metas da instituição serão atingidas.

 

 

REFERÊNCIAS

KURCGANT, Paulina. Administração em Enfermagem. São Paulo: EPU, 1991.

CHIAVENATO, I. Recursos Humanos na Empresa. São Paulo: Atlas, 1989. v. 2.

MARQUIS, Bessie L.; HUSTON, Carol J. Administração e liderança em enfermagem: teoria e prática. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.

PONTES, B. R. Planejamento, recrutamento e seleção de pessoal. São Paulo: LTR, 1988.

TANKE, Mary L. Administração de recursos humanos em hospitalidade. 2. ed. São Paulo: Pioneira Thomsom Learning, 2004.

SANTOS, Oswaldo de Barros. Psicologia aplicada a orientação   e seleção de pessoal. 9. ed. rev. São Paulo: Pioneira, 1985.

 




 

Raquel Lima De Brida
Coordenadora de Enfermagem do Hospital Santa Casa
Especialista em Cuidados Intensivos Neonatais
Coord. CIHDOTT




 
 
 















Veja mais fotos
 
Hospital Santa Casa ® - Campo Mourão O melhor atendimento você encontra aqui.
Fone: |44| 3810.2100 - |44| 3523.0008 - CEP: 87.302-215
contato@santacasacm.org.br
Rodovia PR, 558 - Campo Mourão - PR